A Leptina (do Grego Leptos Magro)

A leptina (do grego leptos fino), também conhecida como proteína PN, é uma hormona produzida, na sua maioria, pelos adipócitos (células de gordura), todavia bem como se expressa no hipotálamo, o ovário e placenta. Foi descoberta em 1984, em experimentos com ratos. A regulação da secreção de leptina é a comprido tempo, principalmente na variação do grau de massa corporal e efeitos estimulantes da insulina. Depois da tua descoberta, a maioria das investigações em volta da leptina se concentraram em seu papel como fator regulador do peso corporal.

contudo, estudos posteriores descreveram uma ampla distribuição de receptores para esse hormônio em incalculáveis tecidos periféricos, abrindo-se, desta forma, um vasto campo de procura sobre isso as funções biológicas desse hormônio. A leptina participa em processos fisiológicos tão numerosos como a reprodução, imunidade ou angiogénese. A leptina é uma proteína de 167 aminoácidos, que adicionam um peptídeo sinal de 21 aminoácidos. Sua estrutura tridimensional apresenta quatro hélices alfa e uma ponte dissulfeto entre as cisteínas pela posição 96 e 146, sendo este último imprescindível pra atividade biológica do hormônio. A sinopse de leptina ocorre, principalmente, apesar de que não de forma exclusiva, a nível do tecido adiposo branco.

Este evento permitiu recomendar que a secreção de leptina atua como um sinal pro cérebro, falando-o sobre o tamanho do tecido adiposo e atuando como fator saciedade. O tecido adiposo marrom ou gordura marrom assim como produz leptina, apesar de que em pequeno medida. O papel da leptina sintetizada no tecido adiposo marrom não está claro, entretanto poderia ser apenas um reforço extra de leptina pela corrente circulatório como reflexo do total do tecido adiposo. A regulação da sentença de leptina depende em grande maneira dos depósitos de gordura do organismo.

Assim, os adipócitos de superior tamanho produzem mais leptina, sempre que que os adipócitos da gordura visceral segregam menos leptina que os adipócitos da gordura subcutânea. A quantidade de triglicerídeos armazenados no adipocito é assim como proporcional à quantidade de leptina, produzida por cada adipocito. Por esta razão, os níveis circulantes de leptina são proporcionais à quantidade de gordura corporal.

  • Para atingir um progresso faça a rotina de segunda-feira a sexta-feira, durante 30 dias
  • Baixo grau de oxigénio (hipoxia)
  • Um ulna de caldo de galinha
  • Experimenta um veloz ganho de peso, ou até já um início súbito de obesidade
  • Camarão, lagostim, camarão e gambas
  • Frutas variadas: mamão, maçã, manga, uvas, grapefruit
  • maçãs

A secreção de leptina varia de acordo com o ritmo circadiano, sendo secretado de modo pulsátil, e modulada pela insulina e outros hormônios. Sua freqüência é de aproximadamente um pulso a cada 45 minutos. Sua concentração se intensifica gradualmente durante o dia e atinge um pico no decorrer da meia-noite, pra eliminar até o início de um novo ciclo. Este modelo bem como depende da alimentação. Deste modo, as concentrações circulantes de leptina aumentam nas primeiras horas depois da ingestão e continuam a sua ascensão no caso de acrescento de potência.

Em situações de jejum, há uma redução na geração de leptina. Por outro lado, parece que as mudanças no padrão de secreção associados à alimentação estão mais relacionados com a concentração plasmática de insulina, que com o peso corporal. Isto se deve a que a insulina estimula a frase da leptina em adipócitos isolados e, desse jeito, eleva o seu nível circulante.

Uma vez secretado pela corrente circulatório, a leptina circula parcialmente ligada às proteínas plasmáticas, sendo a proporção de leptina unida às proteínas inferior em indivíduos obesos. O receptor OB-Re circula unido à leptina e funciona como um regulador da concentração de hormônio livre. A exclusão da leptina é praticada principalmente por avenida renal.

A leptina é metabolizada especialmente pelas células epiteliais renais. Estas captam a molécula, por meio de um instrumento que envolve receptores “curtos”; por esta causa, a concentração de leptina aumenta em pacientes com insuficiência renal. A função fundamental da leptina parece ser a regulação do apetite, pro qual actuam sobre isto os núcleos intensificada.

admin

admin

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou da nossa Revista

Mais de 200.000 acessos mensais aqui

Não deixe de voltar mais vezes para nos visitar e não esqueça de nos indicar.

Esperamos sua volta.

Rolar para cima