Análise De ‘Steep: Caminho Para as Olimpíadas’

A expansão neste instante está acessível no PS4, Xbox e Pc. De nove a 25 de fevereiro, o universo do esporte tem um encontro com os Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, que na sua XXIII edição viajam pra cidade sul-coreana de Pyeongchang. Uma expansão que é dependente do jogo original e que não está incluído no season pass. O preço de ‘Caminho das Olimpíadas’ separadamente é de 29,99 euros, mesmo que se você não tem ‘Steep’ e se interessa a expansão, você poderá optar pela edição de Jogos de Inverno, que custa de lançamento 49,99 euros.

Caminho pra Olimpíadas’ acrescenta as montanhas do Japão pro mapa de navegação, um lugar banhado pelo contraste entre a branca de neve e os rosáceos cerejeiras em flor. O maciço japonês se compõe de quatro regiões (Daisetsuzan, Hakuba, Sapporo e Zao) com novos desafios (mais de 30) e 4 Histórias da montanha.

nestas terras queremos desatar nossa veia freerider, visualize ‘passeios’ aéreos ou voar entre as tuas afiadas pedras graças ao cada vez mais extenso elenco de esportes disponíveis. Basicamente, o mundo aberto do Japão é uma extensão conservadora do que desfruta o jogo original. Aquele que desfrutara de um a outro lado dos Alpes e do Alasca fará o mesmo com a nação do sol nascente. Mas onde reside a verdadeira potência de ‘Caminho das Olimpíadas’ é, na sua vertente olímpica. Aqui entra em jogo outra região nova, Coreia do Sul, distante do mundo aberto, com as outras três.

  • O aparecimento vitoriosa da referida infantaria suíça, no século XV
  • 1, O humor inicia a série
  • Não Me Procure Mais (Omar Géis)
  • Uma colher de chá de pimenta em grão
  • Homero Ferruzca como Juan José Durán
  • 1773: Supressão da Companhia de Jesus pelo Papa Clemente XIV
  • , Gostaria de ser o seu tipo, o seu tipo de sangue, para viver em suas veias e dominar a tua alma inteira

A nação sul-coreano, deixando de lado a autonomia de navegação em favor da briga olímpica. Desde o começo, a expansão nos apresenta a opção de competir nas diferentes disciplinas (todas desbloqueadas de começo) ou entrar no modo “torna-te uma lenda’. Um título atribuído com todo o sentido, pelo motivo de a pele de um snowboarder lutaremos por ser o primeiro na história a dominar três medalhas de ouro no freestyle (Big Air, Halfpipe e Slopestyle) nos Jogos Olímpicos de Inverno. No modo carreira, antes de começar a treinar, escolhemos um protagonista (homem ou mulher) dentro de alguns modelos modelo e nacionalidade (isto vai precisar do hino tocar ao subir ao pódio).

Durante diversos meses (que no jogo são umas 3-quatro horas) praticamos nossos melhores truques no Japão e os Alpes com o intuito território pela classificação geral para a Coreia do Sul. A idéia de testar o duro que é entrar aos Jogos Olímpicos e ganhar soou atraente sobre o papel, todavia a efetivação por divisão do estudo não foi a adequada.

Em nenhum momento empatizamos com o nosso personagem, e o defeito deveria ter sido maior se queria que sentíssemos em nossas próprias carnes o empenho de anos do que falam os atletas profissionais nas entrevistas incluídas pela expansão. Uma adição intrigante poder ouvir da boca dos próprios esquiadores e snowboarders como é a preparação dos Jogos Olímpicos e como se sentem diante de tal desafio. Estas entrevistas fazem com que nos interesemos mais por eles e sobre como eles farão isto em Pyeongchang por nosso próprio protagonista.

admin

admin

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou da nossa Revista

Mais de 200.000 acessos mensais aqui

Não deixe de voltar mais vezes para nos visitar e não esqueça de nos indicar.

Esperamos sua volta.

Rolar para cima