Corrupção No Afeganistão

A corrupção no Afeganistão é um dificuldade generalizado e crescente pela população afegã. O Índice de Percepção da Corrupção 2017 da Transparency International coloca a nação na localização 177 entre 180 países. “Nas pesquisas de posição dos afegãos”, citou a Fundação Ásia em um relatório de 2012, a corrupção se observa sistematicamente como um dificuldade”.

Um dos principais casos novas de corrupção política foi o escândalo financeiro do Banco de Cabul, no 2010-2013, que envolveu Mahmood Karzai e outras pessoas próximas ao Presidente Hamid Karzai. Em outubro de 2012, o governo só recuperou mais de 180 milhões de dólares dos 980 milhões de dólares de empréstimos fraudulentos.

Karzai havia se parelho com posturas populistas contra seus próprios aliados estrangeiros, lançando a culpa dos problemas da nação a estranhos, ao invés seu respectivo governo. Bloomberg informou no dia trinta de abril de 2013, que a CIA havia canalizado dezenas de milhões de dólares em pagamentos discretos Karzai “em malas, mochilas e bolsas de compras”.

O ex-funcionário da CIA Reuel Gerecht alegou que é possível que Karzai tem um sistema de patrocínio apoiado por um esquema de dinheiro, porque não seria sustentável sem o suporte dos pashtunes. Vincent Cannistraro, ex-chefe de disputa contra o terrorismo da CIA, comentou que, graças a das más relações de Karzai com os EUA, o dinheiro não está a ser utilizado de forma produtivo. Logo após, escreveu um livro em 2015, Thieves of State (“Ladrões de Estado”), sobre a corrupção oficial.

  • Homer:eu ouço eliminar, mas não ouço cavar
  • o que me contribuiriam com as oficinas de escrita?um pretendente a escritor
  • você Tem independência geográfica, para trabalhar onde quiser
  • Qualidade das matérias-primas com que foi montado
  • 2 Prelúdio 2.Um Retirada de Liman von Sanders
  • UACA.- Unidade Acadêmica pra Cultura e Artes da Universidade de Guanajuato
  • Inovação educacional: suposição, processos e estratégias. Editora Síntese, Madrid.2000
  • ITL.- Instituto Tecnológico de Leão

O SIGAR avaliou a corrupção como um impedimento interessante para o modo de estabilização e de reconstrução do Afeganistão. Em 2013, o general John R. Allen, que, naquele momento, estava a cargo das forças internacionais no Afeganistão, falou ao presidente Obama que a corrupção é a superior ameaça estratégica e existencial para a nascente nação afegã.

Um relatório de janeiro de 2014 Reuters declarou que milhares de pessoas sem residência sofriam graças a da corrupção. “O grupo de trabalho destinado a atender as emergências não foi possível repartir os suprimentos e, em algumas províncias, o dinheiro para o transporte desapareceu”, diz o relatório.

“Em outros lugares, os armazéns foram esvaziados, sem o discernimento de Cabul”. Um funcionário da ONU contou que o Ministério de Refugiados e de Repatriamento como um “buraco negro”. “Ao longo dos últimos 13 anos”, escreveu Haroun Mir-vinte e quatro de junho de 2015, “os altos níveis de corrupção e mau governo são frustrado seriamente os esforços da comunidade internacional pra estabilizar o Afeganistão. Milhões de dólares, que foram designados para a reconstrução e o desenvolvimento do Afeganistão foram mal utilizados ou malgastados”.

O governo afegão formou o Censo Superior de Supervisão e Luta contra a Corrupção (HOOAC). Uma referência diz, porém, que “na verdade, os afegãos que na atualidade dirigem a nação não querem que se interrompa o fluxo de dinheiro que flui a partir dos países doadores pra suas contas bancárias na Suíça ou Dubai. Assim que este ‘grande custo’ realmente não está fazendo muito pra definir a situação de corrupção em Cabul”. Embora a HOOAC aparentemente tem três funções básicas, a saber, “efeitos de prevenção, investigação e aplicação da lei”, não tem autoridade divertido pra fazer investigações.

Os diferentes departamentos governamentais devem encaminhar os casos de corrupção, pra Procuradoria Geral da Nação, pra que investigue, em cujo caso a HOOAC precisa levar a cabo um serviço de acompanhamento. Um estímulo em teu serviço é que “apenas 9% dos lares afegãos, que possuem um pc e somente um terço dos cidadãos entendem-se os procedimentos administrativos básicos do governo, o que faz com que denunciar corrupção, seja extraordinariamente árduo”.

admin

admin

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou da nossa Revista

Mais de 200.000 acessos mensais aqui

Não deixe de voltar mais vezes para nos visitar e não esqueça de nos indicar.

Esperamos sua volta.

Rolar para cima