Entrevista De Jane Goodall, Por Aurora Segura

Observándolos no decorrer de diversos anos, Jane Goodall possível estabelecer até que ponto os chimpanzés tinham semelhanças com os humanos. Alguns de seus achados encheram de euforia; outros, como a agressão e a selvajaria que demonstraram, em alguns casos, a decepcionou. Entre suas descobertas mais significativas figura haver estabelecido que eram capazes de usar ferramentas, por causa de pra remover cupins de seus ninhos, empregavam-se ramos de árvore que iam arrancando as folhas para torná-las mais eficientes.

Outras de suas investigações concluíram que a alimentação dos macacos não era só capim, como se supunha e que poderá devorar até mesmo pra seus idênticos. Designada mensageira da paz das Nações Unidas, aos 78 anos, continua viajando por o mundo todo dando palestras e conferências. Recentemente presidiu na facultat de Ciências da Universidade Autònomade Barcelona, o encontro mundial dos Institutos Goodall, um corpo humano fundado por ela em 1977, que trata da defesa dos animais e seu habitat.

O que diferencia os chimpanzés e os humanos o Fato. O cérebro do homem e do chimpanzé têm estruturas idênticas, e se estabelecessem um tipo de linguagem, acontecerá também o teu intelecto. A linguagem permite argumentar, compartilhar sugestões, ponderar em coisas que não são do presente e fazer planos para o futuro. A ele precisamos o desenvolvimento explosivo da inteligência humana.

  • Aventuras no Jet-Pack
  • cinco Acessórios 6.5.1 Filtro
  • Que este mês não me desceu… ao menos não até… ainda não
  • Que dentes mais consideráveis, como os elegeste em um catálogo
  • 1 Evolução da dívida viva

será que Poderiam chegar a dominar o mundo? Espero evolucionaran a criar mais o lado certo do cérebro, o esquerdo, que é o nosso defeito. Os humanos perdemos a sabedoria. Antes se tomavam decisões considerando que iam levar pra gerações futuras, e neste instante o que nos interessa é saber como nos afecta a nós e a nossa família. Assim demonstramos não ser tão inteligentes como pensamos.

É como se o cérebro tivesse se divorciado do coração, o que podes ser um cidadão muito perigoso. Se nós somos os animais mais inteligentes do planeta, como, Pois, visto que existe essa desconexão entre a nossa inteligência e nossa know-how de adorar e ser compassivo. Quando chegou à Tanzânia, Eu Sonhava em ir pra África desde moça. Aos 20 anos, ele havia conseguido economizar um pouco de dinheiro para passar um ano no Quénia, em moradia de uma amiga.

insuficiente tempo depois de estar lá conheci Louis Leakey, que recomendou que eu me dedicasse a estudar os chimpanzés. E você, sem mais, aceitou a proposta. Poder cumprir o meu desejo era tão emocionante que não tinha nenhum temor. Eu gostava de todos os animais, mas principlamente os chimpanzés, por sua surpreendente idêntico conosco. Custou um ano de arrecadar o dinheiro essencial para o projeto em Gombe.

admin

admin

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou da nossa Revista

Mais de 200.000 acessos mensais aqui

Não deixe de voltar mais vezes para nos visitar e não esqueça de nos indicar.

Esperamos sua volta.

Rolar para cima