Esposa De Dener: “O Dia Em Que A Tragédia Parecia Vestidos De Noiva”

Meu nome é Amanda Machado, sou a noiva de Dener, que morreu no acontecimento da Colômbia e lhes contarei como é a minha vida depois dessa segunda-feira vinte e oito de novembro. Há 7 anos que estava com Dener, seguindo todos os seus passos, ia a toda a hora onde ele ia. Sempre com ele. Agora tenho que começar do zero perto com Bernardo, nosso filho, que tem dois anos.

Estou passando por diversos dificuldades emocionais. A minha vida mudou, como mudou as das novas esposas. Foi uma tragédia muito amplo. A esposa de Bernardo, ainda mais do que antes, por causa de me dói pela alma pensar que este pequeno não poderá compreender seu pai. Eu imagino e me caem as lágrimas dos olhos.

  • 3 Corrupção política no sistema aduaneiro
  • Instituto A. Mayllen (Católico)
  • Ou Prêmio Internacional Antonio di Benedetto 2014 conto O amante
  • Uma fazenda de 160 hectares em Middleburg, Virginia
  • Subastalia. Empresa de hasta pública e privada

É uma agonia que não é, como poderia controlar. Vejo seu sorriso ao pequeno e sofro ainda mais. Não quero imaginar no momento em que tiver que manifestar que seu amado pai não voltará mais. Gostaria de empreender um negócio pra poder reconstruir um pouco da minha vida e eu estou esperando que a dor que sinto dentro de mim se diminuir um pouco.

Estou tentando me concentrar em coisa alguma, pra que a minha cabeça não esteja a todo o instante pensando em Dener. É muito duro. A minha aflição é infinito quando eu imagino que ele não estará mais conosco, entretanto vou tentar ser potente pra poder cuidar de Bernardo. É muito árduo essa circunstância pra nós. Para mim é de forma especial ainda mais difícil quando está no meio de nosso filho. Ainda que ele não domina, tentei esclarecer-lhe que o pai não voltará, contudo o que me diz: ‘Não, mãe.

o Papai vai regressar e vai jogar comigo ao futebol’. Papai vai voltar, pelo motivo de o pai está jogando futebol’. Sim mamãe, papai vai reverter pra residência’. Que o papai está viajando’. Estranho muitas coisas de Dener, inadmissível poder decifrar todos esses lembranças numa frase, uma frase, um gesto. Nós morávamos muitas coisas juntos. Ele era o meu melhor comparsa, era meu companheiro, que era tudo para mim.

Tudo o que fazíamos juntos e, se eu lhe dizia que íamos tirarnos de uma ponte, ele estava de acordo. Por que você teve que dirigir-se desta maneira? Essa é uma das razões que me sinto muito só. A situação está muito custoso, muito complicada. Embora eu tenha diversos amigos e uma família maravilhosa que está cuidando de mim, não é o mesmo. Dener era tudo pra mim. Agora tenho que focar todo esse carinho no meu amado Bernardo. O imprevisto é uma questão que ninguém entende e que nunca ninguém vai perceber como e por que aconteceu.

admin

admin

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou da nossa Revista

Mais de 200.000 acessos mensais aqui

Não deixe de voltar mais vezes para nos visitar e não esqueça de nos indicar.

Esperamos sua volta.

Rolar para cima