“European Zoos And Aquariums Association (EAZA)”

Um jardim zoológico, residência de feras, zoológico ou zoológico, é uma instalação em que se exibem animais dentro dos compartimentos expostos ao público e que assim como conseguem ser desenvolvidos. O termo jardim zoológico alega-se à zoologia, o estudo dos animais, um termo que provém do grego zwo (zoo: “animal”) e λóγος (lógos: “estudo”).

Atualmente, o número de coleções de animais abertas ao público em todo o mundo ultrapassa os 1000, em torno de 80% deles em cidades. A abreviatura “zoo” começou a ser usada na primeira vez em uma impressão feita no Reino Unido, mais um menos, em 1847, para se conferir ao Zoo de Clifton. Mas, não foi uma, mas duas décadas depois que se popularizou, graças a do encontro cultural da música “Walking in the Zoo on Sunday”, interpretada pelo artista music hall Alfred Vance. Os primeiros zoológicos eram coleções particulares de animais exóticos vivos, coleções, em sua maioria, pertencentes aos reis.

neste sentido, o primeiro jardim zoológico do que se tem notícia irrefutável foi o zoológico de Moctezuma, que teve o imperador asteca na cidade de Tenochtitlán, e que foi exposto por Hernán Cortés em 1520 e arrebentado insuficiente tempo depois. Mais de um século mais tarde, em 1664, foi inaugurado o primeiro jardim zoológico europeu: a ménagerie de Versailles royale (“casa de feras real de Versailles”), idealizada por Louis Le Vau pra Luís XIV. O jardim Zoológico de Central Park foi inaugurado em Nova York, em 1864. É o mais velho dos EUA e conta com uma das maiores coleções do mundo.

Cidades como saint Louis (Missouri), Bombaim, Tóquio, Madrid, Roma, Berlim, San Diego, Chicago, Filadélfia ou Munique abrigam coleções de amplo seriedade. Em um zoológico, os animais vivem em ambientes projetados de tal maneira que se assemelham a seus habitats naturais ou que permitam o desenvolvimento de padrões de modo estáveis, pra proporcionar o seu bem-estar.

A diretiva europeia se transcreveu pela Lei 31/2003, de 27 de outubro, de conservação da fauna selvagem em parques zoológicos. A maioria dos zoológicos modernos mantêm os animais enjaulados em reproduções reduzidas de seus habitats naturais. Estes microambientes necessitam ser grandes o bastante para permitir o exercício e a privacidade do animal. Alguns projetos modernos têm-se em consideração o conforto do animal, como a facilidade de os visitantes para observá-los, evitando que os animais fiquem por dentro isso.

Para esta finalidade, são utilizados alguns truques como vidros escuros atrás de um abrigo do sol. Quase toda vasto cidade do mundo conta com um zoológico, apesar da variação no tamanho e pela peculiaridade de cada um. Os maiores zoológicos são respeitáveis atrações turísticas, de forma que muitos governos resolvem subsidiar os custos operacionais do jardim zoológico. A estatalización de zoológicos é bem como justificada pelo seu valor educativo, porque os zoológicos são frequentemente visitados por escolares em saídas de estudo.

todavia, a maioria do financiamento de um zoológico vem de doações e o gasto de entrada para os visitantes. As associações de zoos e aquários -WAZA (mundial), AAZA (América), EAZA (Europa), etc. – coordenar ações pra conservação de espécies pressionadas e levam a cabo projectos de reprodução ex-situ.

  • o Que nos ouvem as freiras,
  • Cão salsicha, Staffordshire bull terrier, Shiba Inu
  • um A depuração da água para ingerir
  • Não permitirás que o teu povo se atenda a doença
  • Vandalismo (são mais web sites…)
  • 1 etimologia
  • três Border collie
  • 4 Construindo uma classificação

Na Europa, os 2 principais programas desse tipo são o Programa Europeu de Espécies em Perigo (EEP) e o European Stud-Book (ESB). Há espécies ou subespécies descritas em estado selvagem, de que restam só indivíduos nos zoológicos. É o caso do cervo do Padre David (Elaphurus davidianus) ou o leão-do-Atlas (Panthera leo leo).

Alguns grupos se opõem a que os animais privados de autonomia. Argumentam que não é ético usar seres com experiência de perceber pro lazer das pessoas e, sendo assim pedem o término dos zoológicos, oceanarios, e aquários públicos. A maioria das críticas não irão pros jardins zoológicos que abrigam animais em grande risco de extinção, mas que irão para os jardins zoológicos que têm animais que poderiam estar em teu habitat natural.

admin

admin

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou da nossa Revista

Mais de 200.000 acessos mensais aqui

Não deixe de voltar mais vezes para nos visitar e não esqueça de nos indicar.

Esperamos sua volta.

Rolar para cima