História Das Representações Eróticas

As representações eróticas adicionam pinturas, esculturas, fotografias, obras dramáticas, composições musicais e literárias que salientam cenas de meio ambiente sexual. Foram montadas por quase todas as civilizações antigas e modernas. As culturas primitivas eram com freqüência o feito sexual com forças sobrenaturais, e então as suas religiões são entrelazas com essas representações.

Em países asiáticos como Índia, Nepal, Sri Lanka, Japão e China, as representações de sexo e arte erótica têm significados espirituais específicos dentro das religiões nativas do hinduísmo, budismo, xintoísmo e taoísmo. Os antigos gregos e romanos produziram muita arte e decoração de meio ambiente erótica, grande cota do mesmo integrado com as tuas crenças religiosas e práticas culturais.

  • 16 Prorrogação da zona de distensão, de 6 de dezembro
  • 3 Chamadas recebidas e chamadas efetuadas 3.Um Chamadas de saída (outbound)
  • o Emocionar passa por substituir o tipo de histórias que contamos
  • 4 Regalismo e academicismo
  • 7 – Receba pagamentos por fazer upload de filmes pro YouTube
  • 2 Endereços de e-mail
  • Capítulo 3×076 (555) – “você Ainda tem Dúvida?”
  • Os sindicatos trabalham em possíveis recolocaciones para “demolir o menor serviço possível”

Em épocas mais novas, as representações eróticas passaram de ser um artigo de luxo para poucos numa ferramenta de propaganda e, mais tarde, um item do dia-a-dia, e até já um sustento para os outros. À capacidade que as tecnologias de intercomunicação têm evoluído, cada nova técnica, como a tipografia, a fotografia, o cinema e computadores, foi adaptada pra mostrar e dividir estas representações. Em tempos primitivos, as representações eróticas eram frequentemente um subconjunto da arte indígena ou religioso de cada cultura, e como tais não eram isoladas ou tratados de forma diferente do resto.

O conceito moderno de pornografia não apareceu até a data vitoriana. 1857, que a definia como “uma explicação das prostitutas ou a prostituição, como uma charada de higiene pública”. Em 1864, a primeira versão da definição moderna tinha aparecido no Webster’s Dictionary: “ilustração autonomia da opressão turca usada para decorar as paredes dos quartos destacadas às orgias bacanais, exemplos dos quais são encontrados em Pompeia”.

Isto foi o começo do que hoje diz-se a imagens explícitas em geral. Apesar de sua ocasional repressão, as representações de tópicos eróticos foram comuns durante milhares de anos. Entre os exemplos mais antigos conservados da representações eróticas estão as gravuras e pinturas rupestres paleolíticas. Algumas das imagens mais comuns são as de animais, cenas de caça e representações de genitais humanos (que se acredita que são símbolos de fertilidade).

Os seres humanos nudez com características sexuais exageradas aparecem em novas pinturas e instrumentos paleolíticos (como Vênus paleolíticas). A arte rupestre há pouco tempo descoberto em Creswell Crags (Inglaterra), do que se acredita que tem mais de doze 000 anos de idade, inclui alguns símbolos que conseguem ser versões estilizadas dos genitais femininos. Entretanto, não há indícios de que fizessem para a estimulação erótica, o que é muito mais provável que se trate de materiais usados em rituais religiosos.

Arqueólogos alemães relataram em abril de 2005, que tinha achado o que pensavam que era uma cena de 7200 anos de idade, representando uma figura masculina inclinada sobre o assunto outra feminina de uma maneira sugestiva do feito sexual. A figura masculina foi batizada de “Adonis de Zschernitz”. Porém, não é seguro que o propósito destes artefatos fora da excitação sexual individual.

bem, as imagens são capazes de possuir uma relevância espiritual e estado eventualmente relacionadas com rituais de fertilidade. Os antigos gregos costumavam pintar cenas de sexo em cerâmica, sendo muitas delas famosas por criar muitas das representações mais antigas de relações homossexuais e pedofilia. A arte grega retrata a regularidade de atividades sexuais, no entanto é inadmissível discernir quais eram ilegais ou imorais para eles, graças a que os gregos antigos não contavam com o conceito de pornografia. Sua arte simplesmente reflete cenas da vida diária, outras mais sexuais do que algumas. Os gregos montaram assim como o primeiro exemplo popular de lesbianismo no Ocidente, com o Hino a Afrodite de Safo e outras obras homoeróticas.

admin

admin

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou da nossa Revista

Mais de 200.000 acessos mensais aqui

Não deixe de voltar mais vezes para nos visitar e não esqueça de nos indicar.

Esperamos sua volta.

Rolar para cima