Túmulo De Alexandre, O Grande

O túmulo de Alexandre, o Grande, é o recinto em que estaria enterrado Alexandre III da Macedônia, filho de Filipe II da Macedónia e apelidado de o grande (Magno), que morreu pela Babilônia, em junho de 323 a. O paradeiro do túmulo desconhecido, e é considerado outro Santo Graal da arqueologia moderna: o cadáver do general macedônio, tão imprescindível para especificar as ocorrências de tua morte prematura, prestes a completar 33 anos. Na primavera de 323 a. C., Alexandre, o Grande, governava um império que se estendia desde o rio Danúbio, na Europa, até os picos nevados do Himalaia, no norte da Índia.

Durante esse tempo, ela visitou a capital do Império, a cidade de Babilônia, perto do Eufrates. Em meados de maio conduziu uma pequena frota dos pântanos a oeste da cidade para tentar aperfeiçoar o sistema de canais, que distribuía a água do rio pras cidades. Já fazia um calor insuportável, e, desse jeito, hordas de mosquitos têm descartado a expedição. Uma vez de volta pela Babilônia, na última semana de maio, Alexandre fez os últimos preparativos pra uma expedição para navegar em redor da Arábia, com uma frota de mil barcos. O dia trinta comemorou o sucesso da viagem de sua almirante Nearco desde a Índia no início do ano anterior.

No dia trinta e um de maio, em uma celebração noturna que celebrou o seu companheiro de Ecossistema, Alexandre desmaiou ao constatar alguns pungentes dores pela coluna vertebral e nas articulações. Foi conduzido ao higiene pessoal real, onde deitou-se perto à piscina, em razão de eu neste instante tinha febre. Na semana seguinte, o rei teve choque de febre recorrentes as noites, entretanto estes eram, baixe de uma só vez por dia, permitindo que continuasse idealizando essa iminente expedição pra Arábia. Mas os episódios de febre logo tornaram-se mais intensos, e a data de saída da expedição se aproximava ainda mais. O 5 de junho a febre persistiu bem como durante o dia, no entanto era mais intensa à noite.

em sete de junho houve uma rápida deterioração do estado de Alexandre. Pela primeira vez se viu claramente o que estava em perigo. Ordenou a seus oficiais que se reunissem no pátio do palácio, durante o tempo que aqueles de pequeno escala tiveram que aguardar por trás das portas. No dia nove de junho, prontamente circulavam rumores entre as tropas de Alexandre ele havia morrido.

  1. 1 copo de gelatina diet com dois colheres de sopa de queijo branco
  2. Mantém o teu corpo humano mais consciente (em típico com a fome e a saciedade)
  3. vinte Segundos, realizando a ferro
  4. dois Exemplo de tabata para perder gordura em 4 minutos
  5. Despir o RN para preservar a máxima superfície corporal exposta

Pediram desesperadamente a entrada pro palácio, onde os hetairoi não tiveram mais medicamento senão deixá-lo ir a ver de perto Alejandro em teu leito. Os cumprimentou com os olhos, por causa de neste momento tinha perdido a voz. Talvez eu ainda podia emitir um débil sussurro, já que se diz que pediu que teu organismo fosse levado ao deus Amon, no Egito.

deu-Lhe o teu anel de regente a Pérdicas, o teu comandante de cavalaria e guarda-costas. Seus companheiros lhe perguntaram: “quem legas teu reino? “é um debate muito o que o Alexandre citou: alguns acreditam que ele alegou: “Krat’eroi” (‘o mais potente”) e outros que citou “Krater’oi” (“a Crátero’). Isso é possível já que a pronúncia grega de ‘mais forte’ e ‘Crátero’ diferem somente na localização da sílaba acentuada. “oficial” de Alexandre. Esta notícia provavelmente difundiu-se lentamente, no entanto era popular por quase todos no dia seguinte, e isto resultou em choros e lamentos por toda a cidade.

A plebe mergulhou em uma profunda pena, mas já estava inventando uma maliciosa luta entre os contingentes de cavalaria e infantaria do exército. Havia até já batalhas no palácio. Enquanto isto, o corpo humano de Alexandre mantinha-se curiosamente fresco e com aparência de estar vivo, apesar do esmagador calor por ao menos alguns dias mais, o que pode apontar um profundo coma terminal.

admin

admin

Deixe um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou da nossa Revista

Mais de 200.000 acessos mensais aqui

Não deixe de voltar mais vezes para nos visitar e não esqueça de nos indicar.

Esperamos sua volta.

Rolar para cima